PROFESSORES / PALESTRANTES

É Professor nascido e criado em Guaianases; graduado em Letras pela Unesp, fez Mestrado em Educação pela FEUSP com bolsa de Ação Afirmativa da Fundação Ford e Doutorado pela mesma instituição. Atualmente, é orientador de Mestrado na Universidade Lueji A’Nkonde (Angola), participa de grupos de pesquisa relacionados com a luta antirracista, Igualdade de Gênero e Direitos Humanos. Também atua no movimento social, político e cultural, colaborando com coletivos como o Jongo dos Guaianás e Arte Maloqueira.

Dr. Fábio Moreira

É Professor nascido e criado em Guaianases; graduado em Letras pela Unesp, fez Mestrado em Educação pela FEUSP com bolsa de Ação Afirmativa da Fundação Ford e Doutorado pela mesma instituição. Atualmente, é orientador de Mestrado na Universidade Lueji A’Nkonde (Angola), participa de grupos de pesquisa relacionados com a luta antirracista, Igualdade de Gênero e Direitos Humanos. Também atua no movimento social, político e cultural, colaborando com coletivos como o Jongo dos Guaianás e Arte Maloqueira.
Doutora em Ciências Sociais, Mestra em Educação: História, Política e Sociedade, graduada em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em sociologia da educação, metodologia científica, relações étnico raciais e de gênero e política educacional. Diretora da EMEF Saturnino Pereira – DRE de Guaianases.

Dra. Rute Reis

Doutora em Ciências Sociais, Mestra em Educação: História, Política e Sociedade, graduada em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em sociologia da educação, metodologia científica, relações étnico raciais e de gênero e política educacional. Diretora da EMEF Saturnino Pereira – DRE de Guaianases.
Professor Associado II na Universidade Federal do Tocantins (UFT), possui graduação no Curso de Ciências Sociais, mestre em Antropologia Social e doutor em Antropologia Social, todo pela USP. Autor do livro Hip-Hop, cultura e política no contexto paulistano (Appris).

Dr. João Batista de Jesus Felix

Professor Associado II na Universidade Federal do Tocantins (UFT), possui graduação no Curso de Ciências Sociais, mestre em Antropologia Social e doutor em Antropologia Social, todo pela USP. Autor do livro Hip-Hop, cultura e política no contexto paulistano (Appris).
Professor do Departamento de Educação e Sociedade (DES), do Programa de Pós-Graduação em Filosofia, do Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares (PPGEduc) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Pesquisador do Laboratório de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Leafro). Coordenador do Grupo de Pesquisa Afroperspectivas, Saberes e Infâncias (Afrosin), doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Autor do Livro Por que amamos? (Happer Collins).

Dr. Renato Noguera

Professor do Departamento de Educação e Sociedade (DES), do Programa de Pós-Graduação em Filosofia, do Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares (PPGEduc) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Pesquisador do Laboratório de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Leafro). Coordenador do Grupo de Pesquisa Afroperspectivas, Saberes e Infâncias (Afrosin), doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Autor do Livro Por que amamos? (Happer Collins).
Professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de Rondônia, possui Pós-Doutorado e Doutorado em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade São Paulo (FEUSP), licenciada em Letras/ Anhembi/Morumbi, Graduação em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (1989) e Mestrado em Educação – Políticas Públicas (2007). Mulherista, pesquisadora do movimento feminista negro, apaixonada por poesia, mãe e avó.

Dra. Rosangela Hilário

Professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de Rondônia, possui Pós-Doutorado e Doutorado em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade São Paulo (FEUSP), licenciada em Letras/ Anhembi/Morumbi, Graduação em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (1989) e Mestrado em Educação – Políticas Públicas (2007). Mulherista, pesquisadora do movimento feminista negro, apaixonada por poesia, mãe e avó.
Doutorado em Linguística Aplicada pela Universidade de Campinas (2009), graduação em Ciências Políticas e Sociais pela Escola de Sociologia e Política do Estado de São Paulo (1988), mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996). É professora adjunta da Universidade Federal da Bahia, no Departamento de Letras Vernáculas e integra quadro permanente do Programa de Mestrado Profissional em Letras - ProfLetras. Autora da obra Letramentos de Reexistência - Poesia, Grafite, Música, Dança - Hip-Hop (Parábola).

Dra. Ana Lúcia Souza

Doutorado em Linguística Aplicada pela Universidade de Campinas (2009), graduação em Ciências Políticas e Sociais pela Escola de Sociologia e Política do Estado de São Paulo (1988), mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996). É professora adjunta da Universidade Federal da Bahia, no Departamento de Letras Vernáculas e integra quadro permanente do Programa de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Autora da obra Letramentos de Reexistência – Poesia, Grafite, Música, Dança – Hip-Hop (Parábola).
Mulher preta, educadora, ativista, MC e cantora. É integrante do coletivo Black Power e da produtora Tentacool. Traz em sua práxis diária na educação o Rap, como forma de combate a uma educação tradicional e colonizadora. Atualmente é professora da SME e atua lecionando em duas escolas no Grajaú, zona sul de São Paulo.

Aline Juliano

Mulher preta, educadora, ativista, MC e cantora. É integrante do coletivo Black Power e da produtora Tentacool. Traz em sua práxis diária na educação o Rap, como forma de combate a uma educação tradicional e colonizadora. Atualmente é professora da SME e atua lecionando em duas escolas no Grajaú, zona sul de São Paulo.
Escritora, Poeta, Jornalista, integrante do Sarau das Pretas, ativista cultural há 18 anos. Autora dos livros “Filha do fogo- 12 contos de amor e cura”, 2020 (contos), Águas da Cabaça, 2012 (poesias), Punga (Edições Toró, 2007) e participação em antologias literárias. Organizadora das publicações do Coletivo Mjiba como Terra Fértil, de Jenyffer Nascimento (2014) e Pretextos de Mulheres Negras (2013). Trabalhou como editora e jornalista responsável na Agenda Cultural da Periferia na Ação Educativa (2007 – 2017). Atualmente Educadora de Comunicação na Associação Bloco do Beco.

Elizandra Souza

Escritora, Poeta, Jornalista, integrante do Sarau das Pretas, ativista cultural há 18 anos. Autora dos livros “Filha do fogo- 12 contos de amor e cura”, 2020 (contos), Águas da Cabaça, 2012 (poesias), Punga (Edições Toró, 2007) e participação em antologias literárias. Organizadora das publicações do Coletivo Mjiba como Terra Fértil, de Jenyffer Nascimento (2014) e Pretextos de Mulheres Negras (2013). Trabalhou como editora e jornalista responsável na Agenda Cultural da Periferia na Ação Educativa (2007 – 2017). Atualmente Educadora de Comunicação na Associação Bloco do Beco.
Graduada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) em PEDAGOGIA. Foi membro do Conselho Estadual da Comunidade Negra (SP) em 1985 e da DELEGAÇÃO BRASILEIRA "Festival de Juventude em CUBA" em 1995. Foi coordenadora Pedagógica em Programas e Projetos Educacionais da OSCIP - Zulu Nation Brasil - Escritório central DIADEMA/SP entre 2002 e 2004. Atuou como consultora técnica especialista no sistema ONU (UNESCO - UNIFEM e PNUD) no Governo Federal (Ministério de Educação/Ministério do Meio Ambiente) e na Presidência da República do Brasil - Secretaria Especial de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (SEPPIR) entre 2005 e 2010.

Sueli Chan

Graduada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) em PEDAGOGIA. Foi membro do Conselho Estadual da Comunidade Negra (SP) em 1985 e da DELEGAÇÃO BRASILEIRA “Festival de Juventude em CUBA” em 1995. Foi coordenadora Pedagógica em Programas e Projetos Educacionais da OSCIP – Zulu Nation Brasil – Escritório central DIADEMA/SP entre 2002 e 2004. Atuou como consultora técnica especialista no sistema ONU (UNESCO – UNIFEM e PNUD) no Governo Federal (Ministério de Educação/Ministério do Meio Ambiente) e na Presidência da República do Brasil – Secretaria Especial de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (SEPPIR) entre 2005 e 2010.